Carta aberta ao Presidente Lula

Por Ediane Tibes

Presidente Lula:
Aqui quem vos fala é uma mulher, mãe e cidadã brasileira que entende que estamos sendo lesados há décadas com a ineficácia dos poderes e instituições públicas em garantir o nosso direito constitucional de morar e produzir alimentos.
A terra, ela é sagrada nas mãos de quem trabalha. O direito à terra é de quem trabalha e produz alimento. Presidente Lula!
Em 2002, quando nós, os trabalhadores e trabalhadoras do campo e da Cidade, lhe confiamos o nosso voto, depositamos nas urnas também a nossa esperança de ver a reforma agrária e urbana sendo levadas e transformadas em pauta política, com o objetivo de que, movimentos populares, que lutam prá garantir o direito à terra e às moradia prá muita gente, deixassem de serem vistos como ameaça criminosa. Lamentavelmente, nós continuamos sendo mortos, caçados, criminalizados e despejados. Se o Sr. tiver dúvidas, é só pedir prá sua equipe fazer uma busca das ordens de despejo dos últimos 4 anos, inclusive, pedir também as ordens mais recentes, dos despejos ocorridos em meio a essa crise sanitária pela qual estamos passando…
Aí, o Sr de uma olhada: são pais e mães de família, com os filhos, sendo tirados das áreas ocupadas através de ações truculentas que usam o aparato da segurança pública como ferramenta para proteger os interesses dos latifúndios do campo e da Cidade.
Vou contar para o Sr o que ocorre aqui na Cidade onde eu vivo com a minha família, que por sinal o Senhor conhece bem, pois minha Cidade foi a escolhida para o lançamento do PAC, em 2007, quando o Sr e sua equipe aqui estiveram. O Sr se lembra de que minha Cidade abrigava a maior ocupação urbana da região Sul do País, com mais de 50 mil famílias sobrevivendo sem estrutura e saneamento básico. Passamos anos sendo tratados como inimigos do progresso e do meio ambiente, pois somos uma área de mananciais. Piraquara abriga a nascente do Rio Iguaçu e mais um monte de outras pequenas nascentes. Nós também somos responsáveis por 40% da produção de água que abastece a capital Curitiba e as demais regiões metropolitanas. De todo o valor que o Sr liberou em 3 pacotes de recursos, muitas coisas deixaram de ser feitas. Por exemplo, continuamos com ruas que no projeto original seriam contempladas com a cobertura de asfalto e até hoje não foram feitas, isso é só para o Sr saber que a corja corrupta sempre vai sufocar qualquer iniciativa de beneficiar as pessoas mais pobres. Eles roubam na nossa cara e nós amargamos o prejuízo. A situação que ocorre aqui em Piraquara, hoje, é que temos os governos Municipal e Estadual alinhados ao governo genocida do Bolsonaro. O gestor Municipal teve a infame idéia de criar um “comitê de crise” para monitorar, com a ajudá dos munícipes, as possíveis ações de ocupação, dita por eles como ” ocupação irregular” para fins de moradia ao invés de colocar a gestão pra ativar os projetos habitacionais que existem dentro das gavetas das repartições da prefeitura. Eles preferem nos tratar como inimigos do que acolher as pessoas sem moradia e oferecer a elas um projeto que atenda às suas necessidades.
O Sr é um cara que lê muito, né, presidente Lula?
Deve estar acompanhando os jornais e está ciente do que a pandemia escancarou para o mundo todo, e como tem gente em estado de vulnerabilidade, sem ter comida, saúde e moradia. Eu e meu esposo não pudemos ficar em casa com um auxílio emergencial que não dava conta de alimentar nois 5: eu, ele e nossos 3 filhos, além de ter água, Luz e gás prá pagar, senão, a gente fica sem. Então, nois dois trabalhamos até o dia 16/06/2021, quando meu esposo apresentou os sintomas da covid. Nós lutamos com todas as forças, com toda fé, passamos por aquilo que o Sr deve de tá vendo pela TV. À espera pela vacina que demorou demais, à espera por leito de UTI, entubado na UPA – e a gente sabe que, depois do teto de gastos, o investimento na saúde não atende a alta demanda dos dias difíceis que estamos enfrentando… Então, o Sr imagine o aparato precário que temos pra ser atendidos nas UPAS, pois até médicos faltam, ou seja, não tem.
Eu e meus filhos enterramos meu esposo e pai deles no dia 06/07/2021. Essas histórias se repetiram mais de 500 mil vezes, Lula! Agora, o Sr. junte a isso tudo quem perdeu o emprego e não pode pagar o aluguel. Prá onde tu acha que essa gente vai? São mais de 14 milhões de brasileiros sem trabalho e, certamente, se colocando em risco de moradia, além da ” fila do osso”, do pacote de arroz custar 30,00, do litro de óleo chegar a 8,00.
O Sr já viu o preço da carne? E aí, onde o Sr acha que a gente vai parar? Aí, nós como petistas, cientes da importância da reforma agrária prá combater tudo isso estamos sendo cassados, perseguidos, sem nenhum instrumento prá nos defendermos. Não dá prá esperar o Sr. se eleger, prá ai acontecer algo nessa direção, pois a perseguição é hoje é agora. Como vamos combater a ação desse tipo de comitê qgue foi instalado aqui em Piraquara? Além disso, a PL que proibia as ações de despejo foi anulada pelo Bolsonaro. A pandemia não acabou e as sequelas dela vão ficar por anos e, sendo assim, nossos movimentos e militantes que agem nesse sentido de organizar e ocupar áreas, vão sempre estar em risco. Minha pergunta é: por que não vemos nossos deputados e senadores, além do STF, agindo pra nos proteger já que a terra é pra quem planta, um direito e, por isso, a ocupação é legítima. O Sr e todo o aparato disponível deveriam estar atentos a isso,e não somente ficarem a fazer a campanha prá elegê-lo, enquanto os companheiros tem sua liberdade ameaçada. Pense nisso! Ajam logo, pois Quem pode estender a mão pra nois? Eu conto pro Sr., sabe, quem fez mutirão e plantou comida pra distribuir marmitas aqui no Centro de Curitiba pra moradores de Rua foi o MST! É isso mesmo! Aquele povo que é chamado de bandido, de vagabundo de invasores, essas pessoas plantam e cozinham pra distribui comida a quem nada tem. Esse MST, que tem os companheiros e companheiras perseguidos e mortos, eles ajuntaram toneladas e mais toneladas de mandioca,feijão, arroz, fruta, verdura, leite em ações de solidariedade, porque isso é comida de verdade, isso é comida que mata a fome da nossa gente, não a soja do agro-negócio, que gera lucro prá 3 ou 4 ricos, que concentram tudo nas mãos deles. Esse povo do MST tá desde o início do decreto mundial de pandemia doando alimento, eles não pararam. O Sr viu alguma ação do agro-negócio pra combater a fome?.. Então, Presidente Lula, o motivo da minha carta pro Sr. é pra dizer que nós estamos cansados de ser pisoteados enganados. Também prá dizer pro Sr tomar cuidado com os acertos e alianças políticas e que o Sr não se esqueça de que tem uma multidão de sem-terra, de sem-teto, de sem comida, que não está podendo mais esperar. Nós não vamos mais aceitar que o partido dos trabalhadores não faça um governo para os trabalhadores. Nós queremos a reforma agrária e urbana, nós queremos a anulação da reforma da previdência e que seja feito um novo texto onde não se tire os direitos dos trabalhadores, Nós queremos o nosso país de volta! Nós queremos comer presidente Lula.. Agradeço de todo meu coração sua atenção e espero que o Sr. não jogue minha carta no fundo de uma gaveta; que o Sr. leve ela contigo ao Palácio do Planalto, no dia 01/01/2023, quando o Sr. for empossado Presidente do Brasil com o meu voto, que irá se juntar a outros tantos, e se tornando milhões que desejam ter o Sr como nosso Presidente. E a,i de vez em quando, se o Sr. esquecer o que nós, os trabalhadores precisamos, é só o Sr. dar uma espiadinha na carta, no que tá escrito aí. Fique com Deus presidente Lula.

Ediane D.Tibes

Publicado por Emdefesadomarxismo

Somos um grupo de militantes simpáticos ao Partido dos Trabalhadores, que luta contra a perseguição politica sofrida pelo partido e principalmente pelos seus militantes de base. Nós entendemos que, A emancipação dos trabalhadores é hoje e, a cada dia mais, a ultima esperança da humanidade frente a barbárie capitalista. Contudo, a emancipação dos trabalhadores não pode ocorrer sem uma ciência dos trabalhadores , sem entender os seus dias , sem confrontar a teoria marxista , que é a teoria operária com a realidade da classe trabalhadora. Este é o objetivo de Ciência dos Trabalhadores. Existem sim uma ciência Operária , mas essa ciência precisa ser construida e hoje , como no passado a ciência dos trabalhadores é condição necessária para sua emancipação . Como condição necessária , a ciência operária precisa também ser obra dos trabalhadores. Por isso convidamos a classe trabalhadora a se expressar em nossas paginas .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: