Gabriel Araújo: Carta Aberta à companheira Ediane Tibes 

Publicamos a resposta do companheiro Gabriel Araujo do Movimento Nacional de Luta por Moradia à carta aberta da companheira Ediane Tibes ao presidente Lula. Diante deste debate concreto acerca do problema da moradia, o Comitê Editorial Ciência dos Trabalhadores percebe, que nesses quatro meses de existência da versão eletrônica da revista, tem sido possível realizar pelo menos um dos objetivos definidos em nosso manifesto de fundação:

a emancipação dos trabalhadores não pode ocorrer sem uma ciência dos trabalhadores, sem entender os seus dias, sem confrontar a teoria marxista, que é a teoria operária com a realidade da classe trabalhadora. Este é o objetivo de Ciência dos Trabalhadores. 

É nesse espirito que diversos companheiros têm contribuído com suas reflexões em uma verdadeira tribuna livre da luta de classe. Essa tribuna livre da luta de classes trouxe, por vezes, textos contraditórios com a linha politica do comite editorial, textos abertamente críticos às posições defendidas por membros do comitê de C&T, o debate aqui tem acontecido livre e a critica recebida como correção necessária, pois este é o método que reivindicamos, o método cientifico não ignora a critica, mas à discute, existem contradições entre nós, as diferenças precisam ficar claras, essa é a única forma, para apararmos nossos erros, fazendo um verdadeiro balanço das nossas ações. Assim, textos ainda que divergentes são publicados em nossas paginas, aqui o debate corre solto.

O outro objetivo da revista definido em seu manifesto de fundação:

reafirmar o direito a organização e o combate concreto contra a perseguição politica

materializa-se na venda de nossa versão ebook, que consiste na primeira campanha financeira para edificar um fundo permanente de combate a perseguição politica, sendo a primeira perseguida politica a ser beneficiada, é justamente, a família da companheira Ediane, que perdeu seu companheiro de vida e pai de seus filhos durante a pandemia. Desta forma, reafirmamos a campanha pela constituição de fundo de combate a perseguição politica. Não como uma iniciativa assistencialista, mas como uma iniciativa de autodefesa dos trabalhadores, não basta afirmar que nossa revista é independente por ser autossustentada, se quando nossos camaradas são atingidos pela perseguição politica da burguesia, seja essa perseguição declarada e direta, seja indireta e encoberta, não agimos para defende-los concretamente, então não poderíamos dizer que somos um agrupamento independente dos patrões e do Estado burguês.

Carta Aberta à companheira Ediane Tibes

Por: Gabriel Araujo

Cara companheira Ediane Tibes,

Aqui quem redige as linhas à seguir, é apenas um quadro revolucionário tentando dialogar com o seu povo, para através desse processo, retirar encaminhamentos para tentar colocar um pouco de alivio e na medida do quadro de desenvolvimento das forças produtivas nacionais, colocar um fim, nessa infindável destruição do país que desaba constantemente sobre nossas cabeças desde a derrubada da companheira Dilma Rousseff (PT), legitima Comandante Em Chefe de nossa pátria.

Ediane, o reformismo, conforme fica evidente em sua Carta Aberta ao Presidente Lula, chegou em um estágio de limitação profundo, seja em um terreno político, como em um plano econômico. 

O acirramento das lutas de classes derivado do processo de intensificação da acumulação de capital, tem levado à uma completa intransigência do imperialismo, que nem mesmo a política reformista tem sido tolerada. Por um lado por abrir margem à uma perca de controle da situação por parte do imperialismo ante o avanço do proletariado na melhora de suas condições de sobrevivência. Por outro, por conta da própria sustentação econômica, que vem cambaleante desde a crise de 2008 e que esse déficit deve ser repassado para alguém, e esse alguém, são pessoas como eu e você, pessoas que sobrevivem em um país de capitalismo atrasado e onde o produto nacional é abocanhado pelo imperialismo.

Apenas à título de introdução de tal situação, o exemplo norte-americano serve de mediação para compreender tal situação. A dívida dos EUA supera em 117% o total de seu Produtor Interno Bruto (PIB). Apenas o processo de domínio da financeirização da economia, permite essa fraude absurda, que pode ser observada em todos os estados nacionais burgueses, levando às raias da loucura, o processo de endividamento perpetuo e a economias totalmente sem lastro na realidade concreta. Nesse sentido, o que se pode observar também, é que a política de austeridade fiscal, apenas tem enxugado gelo, pois a dívida dos estados nacionais, mesmo sob ferozes ajustes fiscais, tem elevado seu endividamento. Isso também nos demonstra, a completa decadência da organização do sistema produtivo capitalista.

Essa situação leva o imperialismo à tomar medidas desesperadas, se assim podemos dizer, intensificando sua dominação política por meio da coerção (que é sua principal característica) contra os países de capitalismo atrasado. Essa agenda de completa pilhagem e saque desses países, somente se implementa por meio de uma via de imposição de forças, no terreno das lutas de classes, e portanto, da força política e militar. Por isso, se chama imperialismo.

Trazendo agora para questões mais localizadas, de nosso Brasil, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou no dia 05 de novembro de 2021 uma Nota à Imprensa, onde consta os resultados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos do mês de outubro.

A pesquisa verificou elevação nos preços em 16 das 17 capitais pesquisadas. O preço mais caro foi “[…] de Florianópolis (R$ 700,69), seguida pelas de São Paulo (R$ 693,79), Porto Alegre (R$ 691,08) e Rio de Janeiro (R$ 673,85)”.

Quando comparado com outubro passado (2020), constatou-se maior elevação “[…] em Brasília (31,65%), Campo Grande (25,62%), Curitiba (22,79%) e Vitória (21,37%).” 

Também foi verificado que “[…] o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em outubro, 58,35% (média entre as 17 capitais) do salário mínimo líquido para comprar os alimentos básicos para uma pessoa adulta.” 

No Brasil, de acordo com o IBGE, há uma previsão de safra recorde para o ano de 2022. Isso significa, para o povo brasileiro, que os latifundiários e os capitalistas, vão ter recorde de produção, porém mais da metade disso é em produção de soja e que a grande maioria do total será para exportação. Ou seja, nossa produção agrícola nacional, as nossas terras, não tem servido para sanar as nossas necessidades mais imediatas, para a produção do que o povo precisa para sobreviver aqui e agora.

Nesse sentido, com a crescente também em relação ao ônus excessivo do aluguel, por exemplo, que é auferido pela Fundação João Pinheiro, que chega a abocanhar cerca de mais de 60% do salário dos trabalhadores, verifica-se que no fim do mês as contas do trabalhador não fecham e que nem mesmo para o mínimo de sua reprodução, o salário mínimo tem servido.

Soma-se a tal situação e também influi diretamente, na elevação do preço da cesta básica, o acumulado do encarecimento na casa de 73% no preço da gasolina, 65,3% no diesel, 48% no gás de cozinha e 25% na energia, em 2021. Imagina tudo isso, com as privatizações da Petrobras e da Eletrobrás, consolidadas? 

O Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 teve uma queda de -4,1%. Em 2021 o Fundo Monetário Internacional (FMI), estima uma elevação de 5,2%. Ou seja, no acumulado de 2020 e 2021, a economia nacional “cresceu” 1,1%, o equivalente à média de 0,55% em cada ano. Para um país do tamanho do Brasil, esses resultados são uma verdadeira vergonha e um completo atraso.

Enquanto a pequena burguesia de esquerda tirava férias com o seu suposto “fique em casa” junto ao João Dória (PSDB-SP), a vida dos trabalhadores estava cada vez mais sendo afundada em um mar de completa desgraça. Os números atuais, comprovam isso. 610 mil mortos e 120 milhões na insegurança alimentar. E a tendência política e econômica, é prosseguir nesse sentido. Porém, no conto de fadas da esquerda caviar, à mesma já está programada para tirar suas férias de fim de ano, mesmo com o país com uma pilha de corpos (incluindo, infelizmente, o seu companheiro e pai de seus filhos) e com um exército de esfomeados.

Os revolucionários e nacionalistas, não podem tolerar mais o prosseguimento desse massacre do povo pobre. Há que se criar alternativas imediatamente e sem tergiversar.

Não podemos criar ilusão de que fazer apelos aos políticos reformistas ou à própria burguesia (que tenta salvar sua pele), vão refletir em uma consciência política revolucionária nos mesmos. A política, é uma questão de forças e também prática. Nesse sentido, figuras como eu e você, tem uma tarefa fundamental para fazer efetivar na prática um programa popular e de libertação nacional. E essa tarefa, passa fundamentalmente, pelo processo de organização e mobilização de nosso povo.

O Presidente Lula, tem seu lastro político advindo de uma segmento totalmente distinto dos demais candidatos da esquerda. Lula tem de prestar constas à sua base social, ele emerge de um proletariado e de um campesinato completamente explorado e massacrado pelo imperialismo, que tem uma forte propensão revolucionária e que constituiu organizações sólidas e com determinada margem de autonomia política ante a burguesia. E são estes que possuem legitimidade e autoridade (organizativa, política e científica) histórica para impor ao Presidente Lula, um programa nacionalista e um governo de trabalhadores. E são à estes, que devemos dedicar todo o nosso dispêndio de forças. Pois apenas eles, podem reverter esse quadro de limitação do reformismo, bem como, da própria política econômica neoliberal, do imperialismo.

Publicado por Emdefesadomarxismo

Somos um grupo de militantes simpáticos ao Partido dos Trabalhadores, que luta contra a perseguição politica sofrida pelo partido e principalmente pelos seus militantes de base. Nós entendemos que, A emancipação dos trabalhadores é hoje e, a cada dia mais, a ultima esperança da humanidade frente a barbárie capitalista. Contudo, a emancipação dos trabalhadores não pode ocorrer sem uma ciência dos trabalhadores , sem entender os seus dias , sem confrontar a teoria marxista , que é a teoria operária com a realidade da classe trabalhadora. Este é o objetivo de Ciência dos Trabalhadores. Existem sim uma ciência Operária , mas essa ciência precisa ser construida e hoje , como no passado a ciência dos trabalhadores é condição necessária para sua emancipação . Como condição necessária , a ciência operária precisa também ser obra dos trabalhadores. Por isso convidamos a classe trabalhadora a se expressar em nossas paginas .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: