O preocupante discurso do Lula no Parlamento Europeu: O negacionismo progressista

Apresentação

Em uma recente viagem a Europa, Lula fez dois discursos importantes um na Science Po e outro no parlamente Europeu fonte aqui. Seguindo a tribuna livre da luta de classes, vamos analisar ponto por ponto o discurso de Lula no Parlamento Europeu e entender como Lula se coloca no cenário mundial neste momento. Pretendemos ir muito além do culto a personalidade, neste sentido, em muitos pontos a critica contra as posições de Lula serão duras.

Lula não é incriticável

Temos visto recentemente no PT, um duro debate entre uma posição favorável e contraria a uma possível chapa Lula/ Alckmim para concorrer a presidência da republica. Acreditamos que tanto os contrários a chapa como os favoráveis erram, pois manifestam posições simétricas adaptadas ao calendário eleitoral . Os defensores da chapa Lula/Alckmim acreditam que a vinda de Alckmim permitira a Lula ter maioria no congresso, o bom e velho discurso da governabilidade, que analisada no texto “Anulação do impeachment a via mais economica para uma assembleia constituinte” nos seguintes termos.

A burguesia tinha diante de si uma contradição, reprimir o movimento e arriscar incendiar o pais, ou aceitar o PT. A hipótese de aceitar o PT ganhou força, frente o exemplo dos partidos operários europeus, que estavam em uma linha de forte colaboração com o imperialismo estado-unidense, legitimando inclusive a guerra do Golfo e a União Européia.  Era a época dos Fóruns Sociais Mundiais, sustentados por George Soros e outros especuladores, a democracia participativa era uma experiência bem sucedida em manter as organizações dos trabalhadores disciplinadas, retirando sua independência e impedindo o questionamento do marco fiscal e econômico vigente, garantindo o pagamento dos juros da divida e o orçamento garroteado para satisfazer as necessidades do mercado financeiro. Nessa conjuntura , por que não aceitar o PT ? Porem, essa aceitação tinha uma condição, uma profissão de fé do PT , uma declaração de respeito a todos os contratos. Essa foi a carta ao povo brasileiro. 

https://cienciadostrabalhadorespt.com/2021/09/11/circulo-de-estudos-revolucionarios-anderson-luis-anulacao-do-impeachment-a-via-mais-economica-para-uma-assembleia-nacional-constituinte/?fbclid=IwAR3262Rv22t7yk9v33lmpSkJxWStFPEgSCZ3oHYNduX81m24cd11MoKaEIE

Aparentemente esse discurso no Parlamento Europeu teria um tom parecido com a carta ao povo brasileiro. Contudo, o endereçado desta vez não seria o povo brasileiro, mais diretamente o imperialismo franco-alemão, que frente a relativa crise de hegemonia da burguesia mais poderosa, a burguesia imperialista dos EUA, vê diante de si , um momento de reafirmar a sua posição e postular ascender ao ponto de imperialismo dominante. Caso essa hipótese esteja correta a colocação de Alckmim na vice-presidencia, não seria um calculo ligado as fronteiras nacionais, mas sim uma analise internacional, ligada a um alinhamento de Lula as burguesias imperialistas da Europa contra a burguesia imperialista dos EUA. Essa posição já foi verbalizada pelo ex-chanceler Celso Amorim e também por Aloisio Mercadante apelidada de multilateralismo, ou novo modelo de governança global.

O problema desta posição, é acreditar que uma disputa entre os diversos imperialismos possa resultar em algo positivo para o povo trabalhador em qualquer canto do mundo que seja.

Vamos então ao discurso de Lula no parlamento Europeu:

Discurso de Lula no parlamento Europeu

Vamos começar quebrando o protocolo e falando o nome de um companheiro que me dá muita alegria de ver sua presença aqui, o nosso querido companheiro Rafael Correa, ex-presidente do Equador. Quero cumprimentar a companheira Iratxe García, presidente do Grupo Social Democrata (Grupo S&D) do Parlamento Europeu; cumprimentar o querido companheiro José Luis Zapatero, ex-primeiro ministro da Espanha; cumprimentar a companheira Claudia Pardo, prefeita da Cidade do México que me parece que vai falar aqui em uma gravação; companheiro Pedro Marques, vice-presidente do Grupo S&D; companheira Maria Manuel Leitão Marques, coordenadora da Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana; companheiro Javi López, co-presidente da Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana; companheiro Pedro Silva Pereira, vice-presidente do Parlamento Europeu; e Andreia Schneider co-presidente do Fórum Progressista Mundial.

Lula neste trecho coloca o mandato em uma saudação protocolar aos caciques presentes. Vimos que quem recebe Lula é o chamado grupo social democrata, que por diversas oportunidades estiveram em diversos governos Europeus e foram incapazes de combater a austeridade fiscal, além de servirem as ações militares da OTAN , que acabaram gerando a enorme crise migratória no Mediterraneo. Portanto, temos um grupo de caciques incapazes de defenderem as classes operarias dentro das fronteiras de seus países e fora das fronteiras europeias esses mesmos caciques são corresponsáveis por todos os massacres que a OTAN provocou no pós guerra.

Quero cumprimentar alguns companheiros brasileiros que vieram na minha delegação: o companheiro Aloizio Mercadante, ex-senador, ex-ministro da Ciência e Tecnologia, ex-ministro da Educação, ex-ministro Chefe da Casa Civil, ex-líder do governo, ex-deputado federal, economista da Unicamp, ex-assessor do Governo Sindical, um grande companheiro, hoje presidente da Fundação Perseu Abramo. Quero cumprimentar o companheiro Celso Amorim, embaixador que foi ministro do tempo em que o Itamar Franco era presidente da República, foi oito anos meu chanceler, depois foi Ministro da Defesa da Dilma. Quero cumprimentar o querido senador Humberto Costa, companheiro do meu partido, senador da república pelo estado de Pernambuco. Cumprimentar o companheiro Arlindo Chinaglia, Deputado Federal e médico pelo Partido dos Trabalhadores.

A longa saudação ao Aloisio Mercadante mostra, que o artigo dele é uma fonte bastante relevante para a analise deste texto

Meus queridos companheiros e queridas companheiras, as minhas primeiras palavras são de agradecimento e reconhecimento da solidariedade extraordinária que vocês tiveram enquanto campo progressista aqui, nesse Parlamento, na luta contra o golpe que foi dado na presidenta Dilma Rousseff, com um impeachment que não tinha nenhuma motivação, e, depois, com a minha prisão, os processos contra o PT, os processos contra mim e outros companheiros e, ao final, a minha proibição de sair como candidato à Presidência da República em 2018, e possivelmente o impedimento do nosso partido de voltar a governar o Brasil.

Existiu solidariedade destes senhores quando Lula foi preso? Essa referência nos escapa.

É importante apenas um reconhecimento: há uma razão pela qual uma parte da elite brasileira, sobretudo a elite política e econômica, tem um problema sério em relação ao PT. É porque o PT, com apenas 9 anos de existência, na sua primeira disputa à Presidência da República foi o segundo colocado, em 1989. Em 1994, o PT outra vez foi o segundo colocado; em 1998, outra vez foi o segundo e, em 2002, o PT foi o primeiro colocado, em 2006, primeiro colocado, em 2010, outra vez o primeiro colocado, em 2014, primeiro colocado, e em 2018, o PT seria outra vez o primeiro colocado. Lamentavelmente eu fui proibido de concorrer, o companheiro Fernando Haddad foi o segundo colocado e nós estamos trabalhando fortemente para que em 2022 sejamos outra vez o primeiro colocado e possamos recuperar a democracia do nosso país.

A importancia do PT como organização dos trabalhadores é inegável, lamentavelmente o partido foi bastante incapaz de defender seus militantes perseguidos e sua direção não parou de professar a fé no Estado democratico de direito, que por pouco não levou o partido para a ilegalidade.

Não tem como eu agradecer o que vocês fizeram por nós, pela democracia, pela luta do PT e das forças progressistas no Brasil. Meus parabéns a vocês. Espero que nunca seja necessário retribuir essa solidariedade, porque eu espero que vocês nunca sejam vítimas das atrocidades que eu vivi no Brasil, que Rafael viveu no Equador, que Lugo viveu no Paraguai, que Evo viveu na Bolívia e de outros companheiros que são perseguidos no nosso continente.

A perseguição politica é um fato e a sucessão de golpes na América Latina também. A capacidade das direções das organizações de resistirem aos golpes e a perseguição, que é questionável. Alem disso a perseguição vai bem além das fronteiras Sul Americanas , casos como o de Melechon na França, Louisa Hanoune na Argelia, Snowdem e Assange nos EUA são conhecidíssimos. Acrescenta-se ainda a perseguição a militantes de base, mas também a perseguição a Maduro foi aqui esquecida, pois a propria UE nao reconheceu o mandato popular de Maduro.

Quero dizer para vocês que tenho a honra de ter feito política no meu país no mais importante momento da esquerda e dos setores progressistas em toda a história da America Latina. No nosso tempo de governo eu tive o privilégio de ser presidente do Brasil com Lagos e depois Michelle Bachelet na presidência do Chile. Com Kirchner e depois Cristina na presidência da Argentina. Com Tabaré e depois com Pepe Mujica na presidência do Uruguai. Com o companheiro Lugo na Presidência do Paraguai, com Rafael na Presidência do Equador, até mesmo com os companheiros de direita e alguns países, como a Colômbia, que participavam ativamente das politicas da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL). Tive o prazer de, junto com os companheiros de criar a UNASUL, criar a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), expulsar a Área de livre Comércio das Américas (ALCA) da América do Sul e fortalecer o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL). E tive o prazer de viver possivelmente o mais importante momento de ascensão social do povo pobre da América do Sul e da America Latina. Pensa em uma conquista que nós deveríamos agradecer a todos os presidentes que governaram junto conosco.

Quando olhamos a pagina do Mercosul temos o seguinte trecho dos seus fundamentos: O compromisso dos Estados Partes de harmonizar suas legislações, nas áreas pertinentes, para lograr o fortalecimento do processo de integração . Curiosamente o processo de integração do Cone Sul nunca favoreceu, em nenhum dos países membros , pautas como a reforma agraria por exemplo.

O Rafael sabe porque ele era perseguido. Porque no mundo Latino-americano, em toda a história da América Latina, todos os presidentes ou governantes que resolveram ousar e dar ao pobre o direito de trabalhar, comer, estudar e serem respeitados, ou foram assassinados, ou foram perseguidos politicamente. Qual é a razão para a perseguição ao companheiro Evo Morales? O Evo não poderia concorrer ao quarto mandato? É muito engraçado que em um regime presidencialista só o Roosevelt concorreu a quatro mandatos, mas no restante do mundo todo, pensar em um terceiro mandato já é ser considerado como um ditador. E no parlamentarismo que as pessoas governam 16 anos? A Angela Merkel acaba de completar 16 anos no governo, Margaret Thatcher reivindicou e tudo. Todos eles ficam dezenas de anos e não é ditadura, não e autoritarismo, somente quando um de nós tenta concorrer a um terceiro mandato.

Lula em momento algum vai ao fundo da questão. O interesse em derrubar Evo Morales esta diretamente ligado a presença de Litio nas areias de seu deserto . A Bolivia sozinha comanda o mercado mundial desta comodite fundamental para a construção de baterias solares. Neste sentido o golpe contra Evo foi o primeiro golpe verde do Planeta.

Eu estou muito à vontade pra falar, porque na época eu tinha 87% de bom e ótimo nas pesquisas, e queriam me aprovar um terceiro mandato. Eu não aceitei, eu disse em alto e bom som que o Brasil tinha que ter alternância de poder e tinha que eleger outros companheiros. Logicamente que eu nunca imaginei que o Brasil fosse eleger uma pessoa como Bolsonaro para presidir nosso país, nunca me passou pela cabeça. De qualquer forma, se nós temos alguma responsabilidade enquanto esquerda, enquanto progressistas, de alguns setores da direita governar nosso pais, nós temos agora o compromisso de tirá-los, devolver a democracia e o bem-estar social para o nosso povo.

Mas o povo brasileiro nunca elegeu Bolsonaro. Quem elegeu Bolsonaro foi o golpe com o supremo com tudo

Queria agradecer o convite do Parlamento Europeu, sinceramente eu não sei se estou habituado porque faz muito tempo que eu não participo de atividades como essa, e eu estou aqui fazendo um aprendizado já que durante 580 dias na cadeia eu não pude nem dar entrevista e depois que eu sai da cadeia que fui visitar o papa, fui a Berlim, a França, e depois entrei em lockdown, fiquei em casa durante quase dois anos por conta da pandemia. Só agora que eu estou conseguindo fazer meu primeiro pronunciamento sem máscara, e isso é muito importante. Estou muito a vontade e com muita vontade de viajar no Brasil falando outra vez com o povo brasileiro sobre a importância do nosso país para o mundo e para a democracia.

Não temos nenhum comentário a fazer neste trecho , reproduzimos apenas para evitar criticas de quem possa dizer que pinçamos partes descontextualizadas do discurso. O Discurso esta na integra para quem quiser mostrar a falsidade de nossas interpretações.

Eu quero começar falando não da América Latina, nem da União Europeia, nem de algum país, continente ou bloco econômico em particular, e sim do vasto mundo em que vivemos todos nós – latino-americanos, europeus, africanos, asiáticos, seres humanos das mais diferentes origens.

Aqui começa a parte que achamos preocupante e que consideramos ser um compromisso com o mundo semelhante a carta aos brasileiros.

Vivemos em um planeta que tenta a todo momento nos alertar de que precisamos de novas atitudes e de uns dos outros para sobreviver. Que sozinhos estamos vulneráveis às tragédias ambientais, sanitárias e econômicas. Mas que juntos somos capazes de construir um mundo melhor para todos nós.

Juntos ? Como assim juntos? A tragédia ambiental, sanitária e econômica é resultado da “an arquia economica da sociedade capitalista” como dizia Einstein. E como demonstramos em Ciência dos Trabalhadores numero 1

No entanto, ignoramos esses alertas. Insistimos em não aprender com os erros do passado.

Como assim , ignoramos? As instituições do imperialismo ignoraram e ignoram, alias mesmo durante a pandemia o mercado financeiro continuou crescendo, ainda que a produção estivesse parada como demostramos aqui

O resultado da nossa falta de compreensão está à vista de todos: pandemia, desigualdade, fome, emergências climáticas que no futuro próximo poderão comprometer a sobrevivência da espécie humana na Terra.

Falta de compreensão é o novo nome para decomposição do modo de produção capitalista? Falta de compreensão agora virou busca insensante pelo lucro as custas da vida de milhões de trabalhadores? Isso não é falta de compreensão. Isso é a dinâmica própria do capitalismo

Apesar de tudo isso, quero reiterar aqui minha crença inabalável na humanidade.

Essa é certamente uma qualidade admiravel.

Não nasci otimista – aprendi a ser. Porque vi em vários momentos da minha vida o quanto um ser humano é capaz de realizar, e o quanto um povo é capaz de construir, quando existe força de vontade e geração de oportunidades.

Aqui, mais uma vez, temos pleno acordo.

Quem vive hoje no Brasil, ou acompanha o noticiário sobre o país, tem todos os motivos para estar pessimista. Mas aonde quer que eu vá, faço questão de dizer: o Brasil tem jeito – apesar do projeto de destruição colocado em prática por um bando de extremistas de direita sem a menor noção do que seja cuidar de um país e de seu povo.

Não foi um bando de extremistas, foi um golpe com o supremo com tudo!!! Um golpe que foi mais um capitulo na guerra entre EUA e China veja os dados aqui Os dados de exportações e importações para a China

  • Exportações: aumento de 4,2%, em 2002, para 26,6%.
  • Importações: aumento de 3,3%, em 2002,  para 19,2%

Por outro lado a relação comercial com os EUA:

  • 1997 – 2001: Brasil importou mais do que exportou para os EUA.
  • 2002 – 2008: Brasil expandiu exportações e passou a ser superavitário.
  • 2008 – 2011: EUA reduziram drasticamente as compras do Brasil com a crise de 2008.
  • 2011 – 2014: Brasil importou mais que os EUA e atingiu o pico de importações em 2013.

Ainda que existissem interesses nacionais capazes de chegarem a um acordo com os governos petistas, o interesse mais poderoso é certamente o interesse do imperialismo dos EUA , que inclusive deu golpes em outras partes do continente.

O Brasil tem jeito, apesar dos 19 milhões de brasileiros que passam fome. Apesar dos 19 milhões de desempregados e desalentados, que já desistiram de procurar um novo emprego. Apesar dos ataques constantes contra a população negra e indígena. Apesar do avanço da destruição do meio ambiente, inclusive na Amazônia.

Pleno acordo, não temos nada a acrescentar.

E apesar, sobretudo, das mortes de mais de 610 mil brasileiros, muitas delas evitáveis – caso houvesse por parte do atual governo o interesse em combater com seriedade o coronavírus.

Não apenas de Bolsonaro, mas o colapso da saúde foi provocado pelo golpe, veja aqui. Mostramos aqui um gráfico de uma nota técnica do IPEA, que simula os gastos com saúde caso o teto dos gastos existisse na década passada. Negar isso é negar o próprio legado do governo do PT.

Nota Técnica Ipea nº 28 – Os impactos do Novo Regime Fiscal para o financiamento do Sistema Único de Saúde e para a efetivação do direito à saúde no Brasil
September 2016
DOI: 
10.13140/RG.2.2.27868.80007
Report number: Nota Técnica Disoc/Ipea nº 28
Affiliation: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Project: 
Financiamento e gasto da saúde: contas-satélites de saúde do Brasil
Fabiola Sulpino Vieira
Rodrigo Benevides

Apesar de tudo, digo com total convicção: o Brasil tem jeito. Sei disso porque num passado muito recente nós fomos capazes de reconstruir e transformar o país, e temos plena capacidade de reconstrui-lo outra vez.

Realmente , muita coisa positiva foi feita , mas nada que durasse e o golpe derrubou com tudo com grande facilidade, pois a maior parte dos compromissos históricos do PT nao foi atendido, como por exemplo Reforma Agraria.

Da mesma forma que acredito que o Brasil tem jeito, acredito também que o mundo tem jeito. Apesar dos 750 milhões de pessoas que passam fome, apesar dos 5 milhões de mortos pela Covid-19, apesar da desigualdade que não para de crescer, apesar dos conflitos étnicos, religiosos e geopolíticos que não raro alimentam as guerras.

As guerras são alimentadas pela exploração capitalista, veja o artigo “Compre ao Som de Canhões venda ao som de violinos” na revista Ciência dos Trabalhadores numero 1

Como disse no início desta fala, meu otimismo não nasce do acaso, mas da experiência. Acredito que a humanidade tem jeito porque estou aqui hoje, neste Parlamento Europeu, reunido com representantes de países que em meados do século 20 eram inimigos ferozes no campo de batalha, numa das maiores  carnificinas da história.

Mais uma vez Lula nega a relação das guerras com a econômia, como se as guerras fossem fruto de uma maldade humana ou algo parecido. A segunda guerra mundial foi provocada pela decomposição do capitalismo , que desembocou na longa depressão de 1929, o resultado final dessa escalada foi a segunda guerra mundial.

60 milhões de pessoas morreram na Segunda Guerra Mundial. É bem provável que os antepassados de vocês tenham lutado em lados opostos. Que tenham matado, morrido e sofrido na pele as atrocidades da guerra.

Nunca existiu interesse dos trabalhadores na vitória de nenhum dos lados da guerra . Ao contrario o interesse do trabalhador, era que a guerra não existisse e não importa a sua nacionalidade. Aqui reivindicamos a posição de Leon Trotsky em seu prefacio ao manifesto do partido Comunista

Os operários não têm pátria.” Esta frase do Manifesto foi freqüentemente considerada pelos filisteus como uma simples fórmula de agitação. Na verdade, ela oferece ao proletariado a única diretriz justa a respeito da “pátria” capitalista. A supressão deste princípio pela II Internacional conduziu não apenas à destruição da Europa durante quatro anos mas também à atual estagnação da cultura mundial. Diante da nova guerra que se aproxima, cujo caminho foi aberto pela III Internacional, o Manifesto permanece, ainda hoje, o mais seguro conselheiro sobre a questão da ‘pátria” capitalista.

Leon Trotsky

Voltando ao texto do Lula

Vocês e seus países teriam, portanto, razões para se odiarem uns aos outros. No entanto, são protagonistas de uma das mais extraordinárias experiências da história moderna, que foi a construção da União Europeia.

Não mesmo, a União Europeia seria, neste caso, mais um motivo de odio entre as nações, como mostra o economista Michael Roberts O capital franco-alemão expandiu-se para o sul e para o leste, aproveitando a mão-de-obra barata de lá, enquanto exportava para fora da zona do euro com uma moeda relativamente competitiva. Os estados mais pobres da UE criaram déficits comerciais com os estados do norte e foram inundados por seus capitais, o que criou ‘booms’ imobiliários e financeiros desalinhados com o crescimento nos setores produtivos do sul. Mesmo assim, nada disso teria causado uma crise na união monetária se não fosse por uma mudança significativa no capitalismo global: o declínio acentuado da rentabilidade do capital nos principais estados da UE (como em outros lugares) após o fim do Era de Ouro da expansão do pós-guerra. Isso levou a queda no crescimento do investimento, na produtividade e na divergência comercial. O capital europeu, seguindo o modelo das economias anglo-saxônicas, adotou políticas neoliberais: leis anti-sindicais, desregulamentação dos mercados de trabalho e financeiros, cortes nos gastos públicos e impostos corporativos, livre circulação de capitais e privatizações. O objetivo era aumentar a lucratividade. Isso ocorreu um pouco para os estados da UE mais avançados do norte, mas menos para o sul.’. Roberts completa:’ A crise financeira global expôs as falhas na zona do Euro”

Vocês estão hoje aqui, neste Parlamento Europeu, em clima de paz, buscando juntos soluções para a construção de uma Europa melhor.

Um texto na falecida revista Ciência & Revolução mostra, que o parlamento europeu não passa de uma casca democratica para legitimar as deciões da Troika europeia. O Tratado de Mastrich que fundou a União Europeia em sua clausula 192 estabelece a função do Parlamento Europeu As leis e diretrizes europeias são aprovadas pela Comissão, pelo parlamento e pelo conselho de ministros”o artigo1-25 sentencia para que não fique dúvida ‘Um ato lesgislativo da UE so pode ser aprovado apartir de uma proposta da Comissão Européia’ . Logo o Parlamento, única instituição da UE com membros eleito por sufrágio universal é totalmente tutelado pela Comissão Europeia.

Conhecemos o imenso poder de destruir que o ser humano tem em suas mãos, e que ele tantas vezes não hesitou em usar. Mas não podemos jamais esquecer que a humanidade tem também uma extraordinária capacidade de construir e reconstruir.

A UE junto com a OTAN realmente nunca se furtaram a usar sua capacidade de destruição.

A União Europeia, o Parlamento Europeu e vocês, senhoras e senhores eurodeputados, são portanto exemplos dessa virtude humana. A União Europeia não é perfeita, como nada é, mas é um patrimônio da humanidade, como exemplo de cooperação e construção da paz entre os povos.

Construção da paz? Além da UE esta sempre envolvida em todas as atividades militares da OTAN, a UE como dispositivo econômico e seus planos de austeridade são responsáveis pela maior asfixia e endividamento que a classe media já teve nos países da OCDE. E o resultado disso foi o recente BREXIT.

Senhores deputados e senhoras deputadas

Somos 7 bilhões e seiscentos milhões de seres humanos habitando este planeta. Homens, mulheres, crianças e velhos, ricos e pobres, pretos, brancos, gente de todas as cores.

Cada um de nós carrega dentro de si o seu universo particular. Somos diferentes uns dos outros, cada qual com sua individualidade, mas unidos todos por uma certeza ancestral: o ser humano não nasceu para ser sozinho.

Lula constata a diversidade humana.

O que me faz lembrar do pequeno trecho de uma das grandes obras primas da Bossa Nova, esse gênero musical brasileiro que conquistou o mundo. Um verso que diz o seguinte: “É impossível ser feliz sozinho.”

A verdade é que não é possível sermos felizes enquanto milhões de crianças ao redor do mundo vão dormir esta noite com fome, e acordarão amanhã sem saber se terão o que comer. 

Certamente! Mas a UE é co-responsavel em desgraças como a crise migratória e o embargo a Venezuela .

Não é possível sermos felizes em meio a tamanha desigualdade, que cresceu de forma inaceitável em plena pandemia. Os ricos ficaram muito mais ricos e os pobres, ainda mais pobres.

O mercado financeiro esteve bem feliz durante a pandemia. Os especuladores tiveram motivos para sorrir de uma orelha a outra. Assim como as big-pharmas.

A desigualdade entre ricos e pobres manifesta-se até mesmo nos esforços para a redução das mudanças climáticas.  O 1 por cento mais rico da população do planeta vai ultrapassar em 30 vezes o limite necessário para evitar que um aumento da temperatura global ultrapasse a meta de 1,5 grau centígrado até 2030.

Certamente, esses dados são completamente reais. Parece que sua acessoria neste caso trabalhou direitinho, mas deveriam ter sido mais atentos com dados como a asfixia da classe média na UE e os planos de austeridade, assim como a ação da UE na crise migratória e nos embargos a Cuba e Venezuela.

O 1 por cento mais rico, que corresponde a uma população menor que a da Alemanha, está a caminho de emitir 70 toneladas de gás carbônico per capita por ano.

As personalidade ditas de esquerda adoram citar esse dado do 1% mais rico, C&T ja demonstrou que esse não é o melhor indice para avaliar a concentração de riquezas.

Enquanto isso, os 50 por cento mais pobres do mundo emitirão, em média, apenas uma tonelada per capta por ano, segundo estudo produzido pela ONG Oxfam e apresentado recentemente na COP 26.

Lula agora começa a se colocar como embaixador do meio ambiente. Um defensor da politica de baixo carbono.

A luta pela preservação do meio ambiente para mim é indissociável da luta contra a pobreza e por um mundo menos desigual e mais justo.

Certamente, isso tudo esta ligado com a luta pela emancipação da classe trabalhadora, certamente nunca a anarquia economica da sociedade capitalista deixou tão claro o seu caráter parasitário, logo a superação da propriedade privada , e a constituição de uma economia planificada são hoje uma necessidade gritante.

É preciso deixar bem claro que o otimismo, a esperança e a fé não podem ser jamais sinônimos de resignação. Por conta disso, eu me considero um otimista indignado.

Não faltam motivos para a indignação, como por exemplo a crise migratória que Lula simplesmente esqueceu de citar.

Em 2009, os países ricos se comprometeram em aumentar para 100 bilhões de dólares ao ano, a partir de 2020, a contrapartida para os países em desenvolvimento preservarem a natureza e enfrentarem as mudanças climáticas. Esse compromisso não foi cumprido, e agora está sendo postergado para mais dois anos, ou seja, a partir de 2023, a transferência de 100 bilhões ao ano para enfrentar a emergência climática.

Certamente , para esses governos o mais importante é salvar o mercado financeiro

Iniciativa louvável, que merece ser celebrada. Mas não podemos esquecer que na crise de  2008, os Estados Unidos destinaram 700 bilhões de dólares para salvar da falência bancos que de forma irresponsável investiram em títulos imobiliários podres.

Isso é o que torna o mercado financeiro parasitário, o mercado financeiro é baseado na produção, mas oferece taxas de lucro mais altas que a produção, então o especulador sempre vai preferir o mercado financeiro em detrimento da produção.

Na mesma época, o G-20 destinou mais 1,1 trilhão de dólares aos países emergentes e ao comércio mundial, para combater os efeitos da crise.

É preciso lembrar também que os Estados Unidos gastaram8 trilhões de dólares nas guerras pós-11 de setembro. Quantia suficiente para eliminar a fome no mundo e preparar o planeta para lidar melhor com as mudanças climáticas. E que no entanto foi usada para causar a morte direta de mais de 900 mil pessoas em países como Iraque, Afeganistão, Síria, Iêmen e Paquistão. Sem contar as mortes provocadas pela perda de água, esgoto e infraestrutura relacionadas com a guerra.

É preciso lembrar que a União Europeia participa como aliada dos EUA na OTAN.

Ou seja, não faltam recursos para salvar bancos e para causar a morte ou o deslocamento forçado de milhões de seres humanos. Mas na hora de salvar vidas humanas ou o próprio planeta em que vivemos, a solidariedade dos países ricos é dezenas de vezes menor. 

Finalmente falou da crise migratória. Timidamente, mas falou.

Uma das maiores alegrias que tive quando presidente do Brasil, e mesmo depois de deixar a Presidência, foi percorrer o mundo, a convite dos mais diferentes países, para falar dos nossos extraordinários avanços econômicos e sociais.

Tive a honra de conduzir o Brasil ao posto de 6ª maior economia mundial. E de fazer do país um exemplo para o mundo de como é possível superar a extrema pobreza e a fome, com total respeito à democracia, em um curto espaço de tempo.

No Brasil o PT é o único que respeita as instituições e não é respeitado por elas. Precisa o tempo todo renovar os votos , sua profissão de fé , no Estado democratico de direito, quando este deixou de existir há muito tempo.

Vocês podem, portanto, imaginar o quanto dói participar de grandes eventos internacionais como este e ter que declarar o quanto o Brasil andou para trás desde o golpe de 2016 contra a presidenta Dilma Rousseff e a chegada da extrema direita ao poder.

O Brasil vive hoje uma tragédia social, econômica, ambiental e sanitária sem precedentes. Temos 2,7 por cento da população mundial. No entanto respondemos por 12 por cento das mortes por Covid registradas no mundo.

Muito justo

Choramos a morte de mais de 610 mil brasileiros. Não chegamos a essa trágica estatística por alguma fatalidade, e sim pela atitude criminosa do atual governo.

E de todos os golpistas com o supremo com tudo

O atual presidente ironizou a gravidade da doença. Zombou dos mortos. Atrasou o quanto pôde a compra das vacinas. Fez propaganda enganosa e distribuiu medicamentos comprovadamente ineficazes contra o vírus.

Deixou faltar oxigênio em hospitais. Incentivou e promoveu aglomerações. Induziu a população à desconfiança quanto à eficácia das máscaras. Ajudou a espalhar fake news contra as vacinas, chegando a dizer que elas podem levar as pessoas com HIV a desenvolverem AIDS.

Experiências com medicamentos ineficazes, usando seres humanos como cobaias involuntárias, chegaram a ser realizados no Brasil, reeditando os horrores do nazismo.

Enquanto isso o congresso e om judiciário caladinhos. A Dilma caiu sem ter cometido nenhum crime. Bolsonaro comete aos montes sem ser questionado. A CPI da pandemia mostrou-se um grande teatro para quem tem ilusões no funcionamento das instituições da republica

Além disso, cerca de 116 milhões de brasileiros, metade da nossa população, vive hoje em situação de insegurança alimentar, de moderada a muito grave. Desses, cerca de 19 milhões, quase duas vezes a população da Bélgica, chegam a passar um dia inteiro sem ter o que comer.

Isso está acontecendo no Brasil, que é o terceiro maior produtor mundial de alimentos.

E está acontecendo porque o Brasil, que em 2014 saiu do Mapa da Fome da ONU pela primeira vez na história, hoje copia o que o neoliberalismo trouxe de pior ao mundo: alta concentração de renda, baixa geração de empregos, destruição de direitos trabalhistas, desmonte das políticas sociais, ausência do Estado, abandono dos mais pobres à própria sorte.

Esse trecho é irreprensivel!

O resultado dessa trágica equação não poderia ser outro: miséria, fome, desesperança.

Golpes costumam causar isso!

Mas eu estou aqui para dizer outra vez a vocês e ao mundo: o Brasil tem jeito. Porque ele é muito maior do que qualquer um que tente destruí-lo.

O Brasil é o país que num passado muito recente encantou o mundo com as suas políticas inovadoras, que retiraram da extrema pobreza 36 milhões de pessoas – o equivalente à soma das populações inteiras de Portugal, Suécia, Dinamarca e Irlanda.

Politicas inovadoras, mas que não mexeram em um único fio de cabelo da propriedade privada, mantiveram a concentração de terras e os bancos lucraram como nunca. Sim, é um fato inegavel a melhora do salario mínimo, mas também é um fato inegável o crescimento do agronegócio, que ganhou ainda mais poder no congresso nacional.

O Brasil é o país que assumiu voluntariamente diante do mundo o compromisso de reduzir em 75 por cento o desmatamento na Amazônia, como forma de conter a emissão de gases poluentes.

Veja aqui a hipocrisia da União Europeia a esse respeito: Como mostrou reportagem do Estadão, a importação da madeira que sai das florestas do Brasil está concentrada em 20 países. Dados compilados pela área técnica do Ibama mostram que, entre 2007 e 2019, os Estados Unidos lideram o consumo da madeira nacional, tendo adquirido 944 mil metros cúbicos (m³) de produtos do Brasil. O segundo maior comprador foi a França, com 384 mil m³, seguida por China (308 mil m³), Holanda (256 m³) e Bélgica (252 mil m³). No total, o mercado legal de madeira exportou cerca de R$ 3 bilhões nos últimos cinco anos. São aproximadamente R$ 600 milhões anuais. A lista traz ainda, em destaque, o Reino Unido (163 mil m³), Portugal (155 mil m³), Suíça (115 mil m³), República Dominicana (105 mil m³), Dinamarca (102 mil ³) e Alemanha (87 mil m³).

E cumprimos antecipadamente nossa promessa – entre 2004 e 2012, nós, de fato, reduzimos em 80 por cento o desmatamento da Amazônia, contribuindo para minimizar o avanço das mudanças climáticas.

Infelizmente, os países ricos, justamente os principais responsáveis pela emissão de gases de efeito estufa, não cumpriram a sua parte. Talvez porque os ricos acreditem que tenham como se proteger, e as mudanças climáticas afetarão com maior intensidade os mais pobres, o que é a triste realidade.

Mas o que eles esqueceram é que todos nós – ricos e pobres – precisamos do mesmo oxigênio para respirar, precisamos de água limpa para sobreviver, precisamos de um planeta saudável, onde nossos filhos possam viver com saúde e paz.

Felizmente, essa era de trevas que se abateu sobre o planeta, por conta da ascensão de governos de extrema direita pelo mundo afora, emite claros sinais de que está chegando ao fim.

A diferença é que ricos podem pagar por um ambiente controlado e protegido.

Partidos e candidatos progressistas vêm conquistando importantes vitórias. Isso está acontecendo em vários países, e estou certo de que vai acontecer também no Brasil, a partir da eleição presidencial do ano que vem.

Para continuarem negando o atendimento das reivindicações populares em nome de um bem comum ou respeito as instituições e aos acordos comerciais? Neste caso, podem até ganhar agora ,mas daqui a 4 anos o povo vai ficar contra novamente, pois esses governos herdaram a crise do capitalismo e não apontam nenhuma saida concreta para essa crise, além de discursos messiânicos e pautas morais e de costumes. Ninguem defende medidas como o monopolio do comercio exterior , centralização do cambio , Estatização de empresas. Veja a entrevista exclusiva do economista britânico Michael Roberts a revita Ciencia dos Trabalhadores numeo 1.

O Brasil voltará a ser uma força positiva no mundo. Voltaremos a ser criadores de políticas públicas capazes de mudar para melhor o nosso planeta.

Acreditamos num mundo multipolar. Voltaremos a ter uma política externa altiva e ativa. Vamos fortalecer o Mercosul, reconstruir a União de Nações Sul-Americanas, a Unasul, e ampliar nossas parcerias com a União Europeia. 

Aqui esta o ponto em que Lula assume um compromisso com a UE. Lula aqui esta movido pela ilusão da possibilidade de um Mundo, como ele mesmo diz “multipolar”, o que é totalmente contraditorio com as tendencias economicas vigentes , reportadas em C&T nos dois artigos O que é o imperialismo? parte 1 parte 2 . Esse debate não é novo Lenin polemiza com Kaustiky no prefacio ao livro de N Bukharin O Imperialismo e a Economia Mundial acerca deste tema nos seguintes termos:

Em Kautsky, particularmente, a ruptura evidente com o marxismo traduziu-se não pela negação ou pelo esquecimento da política; nem, por um “salto” acima dos conflitos políticos, perturbações e transformações especialmente numerosas e variadas nesta época do imperialismo; nem por uma apologia do imperialismo — mas pelo sonho de um capitalismo “pacífico”. Sucede, porém, que o capitalismo pacífico foi substituído por um capitalismo nada pacífico, e antes belicoso e catastrófico — o que Kautsky é forçado a admitir, pois já o fazia em 1909, em obra consagrada especialmente a esse problema(2), e onde falou pela última vez como marxista, capaz de deduzir com inteligência as conseqüências de seus princípios. Se não se pode, porém, sonhar ingenuamente, como um simplista algo grosseiro, com o retorno do imperialismo a um capitalismo “pacífico”, não seria possível dar-se a tais sonhos, que são em suma de pequeno-burguês, a forma de inocente meditação sobre um “super-imperialismo pacífico”? Se se chama “super-imperialismo” à associação internacional dos imperialismos nacionais (mais precisamente, dos imperialismos particularizados em Estados); se se admite que esse super-imperialismo “poderia” eliminar certos choques particularmente desagradáveis, alarmantes ou importunos para um pequeno-burguês (tais como as guerras, as transformações políticas, etc.) por que não se abstrair da realidade atual, desta época de imperialismo que acarretou os mais graves conflitos e catástrofes, para imaginar, inocentemente, um “super-imperialismo” relativamente pacifico, isento de conflitos e de catástrofes? Por que não se afastar dos sérios problemas colocados pela fase imperialista sobrevinda na Europa, para sonhar que, talvez, essa fase passará em breve, e que, talvez, seja lícito conceber uma fase de “super-imperialismo” relativamente pacífica livre de táticas “brutais”?

Esse prefacio foi escrito durante a primeira guerra mundial, depois dele tivemos a revolução Russa , uma enorme depressão do capitalismo, que resultou em uma nova guerra, após a segunda guerra o capitalismo entrou em uma fase supostamente pacifica , que foi chamada de guerra fria. A gueda da URSS fez muita gente dizer que tinhamos atingido o fim da história, uma fase equivalente a essa fase que Kaustiky defende existir, onde após o imperialismo , retornaríamos a um capitalismo tardio, estável, uma nova fase concorrencial, livre da tendência monopolista. Mas a realidade é teimosa ! E insiste em desmentir os advogados desta tese.

Vamos aperfeiçoar os termos do acordo Mercosul-União Europeia. Não queremos uma América Latina voltada exclusivamente para o agronegócio e a mineração. Temos total capacidade de sermos também países industrializados, tecnologicamente avançados.

Vejamos o orçamento da ciência & tecnologia aplicados nos ultimos 20 anos

tivemos um pico em 2015, o valor investido em reais a nível de cotação de 2019 era de 14 bilhões. Quando o real não estava no atual nível de desvalorização. Uma matéria da revista exame de 2016 faz um ranking dos paises que mais investem em Ciência & Tecnologia. Neste ranking o Brasil esta na posição de numero 36. A grande maioria são paises imperialistas , ou paises próximos geograficamente a China, esses paises são incentivados a investirem para opor concorrencia a economia planificada chinesa. Outro argumento, que indica que essa promessa do Lula não pode ser cumprida , é o fato de que o pais possui desde 1998 uma pesada lesgislação contra investimentos governamentais. Que nunca foi revogada pelo PT e foi imposta por acordos com O FMI, alem disso , temos o exemplo da lava jato , que foi um mecanismo de ataque a soberania petrolifera brasileira. Então como garantir que tenhamos um papel importante na industria mundial sem romper com o imperialismo, seja ele dos EUA ou da UE?

O acordo hoje se encontra paralisado, por conta da desconfiança de países europeus quanto ao cumprimento dos compromissos ambientais assumidos pelo governo brasileiro.

Temos imensas extensões de terras agricultáveis, temos tecnologia, pesquisas agropecuárias avançadas. Nossa produção de alimentos não precisa desmatar a Amazônia para exportar soja ou criar gado. As atividades criminosas dos que destroem o meio ambiente devem ser punidas, e não podem prejudicar toda a economia brasileira.

Muito justo!

Temos uma biodiversidade extraordinária, e os nossos biomas haverão de se regenerar após a extinção do atual governo, que estimula o desmatamento e as queimadas, o avanço do garimpo em áreas de proteção ambiental, os ataques aos povos indígenas.

O povo brasileiro não quer que essa destruição continue. Os brasileiros querem a Amazônia viva e de pé. E para isso, é necessário construir alternativas sociais e de desenvolvimento, com ciência, tecnologia e o protagonismo e respeito aos povos que vivem na floresta, seus saberes e sua cultura.

O Agronegocio concordou com isso? Como enfrentar a bancada do boi no congresso nacional?

Meus amigos e minhas amigas,

Acreditamos num mundo cada vez mais plural, unido em torno de valores como solidariedade, cooperação, humanismo e justiça social. Acreditamos numa nova governança mundial, começando pela ampliação do Conselho de Segurança da  ONU, e vamos continuar lutando por ela.

Proclamar princípios abstratos é sempre uma bela estratégia para agradar a plateia. Agora reformar a ONU. um órgão surgido divisão do mundo pelas potencias vitoriosas na segunda guerra mundial, que é a expressão do domínio da burguesia imperialista dos EUA. Essa reforma seria possível caso a hegemonia dos EUA fosse questionada e os EUA entregassem pacificamente a sua posição de imperialismo dominante então teríamos um novo imperialismo dominante e uma nova partilha dos mercados econômicos globais. A guerra comercial com a China é a prova definitiva de que isso não vai acontecer. Contudo, vamos aprofundar o argumento. Biden recentemente realizou uma conferencia por aquilo que o imperialismo dos EUA entender ser democracia. Uma conferencia para reunir os aliados da burguesia estadounidense e nessa conferencia, Lula não foi convidado. Mesmo nessa conferencia não foi possível uma declaração final dos participantes.

O imperialismo mais poderoso do Mundo, passa em revista as suas forças na cupula convocada por Biden. Bolsonaro foi um dos convidados, mesmo após a derrota de sua principal missão no continente Sul Americano; derrubar o governo de Maduro; Bolsonaro continua sendo um importante aliado na guerra comercial contra a China e Rússia no continente. O mandato do próprio Biden na frente da Casa Branca é expressão de uma nova orientação da burguesia imperialista Estado-Unidense, após o fracasso de Trump e sua declarada truculência. A burguesia imperialista resolveu repensar suas ações no mundo, como mostrou a falecida revista Ciencia & Revolução no artigo –Davos , FMI e o Dificil equilibrio do sistema– onde é relata-se os debates que tiveram lugar no Cupula de Davos de 2020. Essa Cupula pela democracia, realizada no inicio de dezembro de 2021 , não teve declaração final. Contudo, foram listadas algumas medidas concretas:

1. Apoiar a imprensa independente

– Criação do Fundo Internacional para a Mídia de Interesse Público, voltado para ajudar meios de comunicação a se manterem. Aporte inicial será de US$ 30 milhões

– Criação do Fundo de Defesa contra a Difamação para Jornalistas, para ajudar profissionais a se defenderem de ataques físicos, virtuais e de ações na Justiça. Aporte inicial de US$ 9 milhões, e de mais US$ 3,5 milhões para criar uma Plataforma de Proteção ao Jornalismo.

2. Combater a corrupção

– Formação de um Consórcio Global Anti-Corrupção, com participação do Departamento de Estado e verba inicial de US$ 6 milhões, com objetivo de conectar e apoiar jornalistas e entidades civis que fiscalizam gastos públicos.

– US$ 5 milhões em um programa de proteção para delatores, ativistas, jornalistas e outros agentes anti-corrupção em risco.

– Mudanças para ampliar a transparência de negócios nos EUA, como a compra de imóveis em dinheiro vivo, de modo a dificultar lavagem de recursos.

– Criação de programas de parcerias com empresas e ONGs para criar novos mecanismos de fiscalização.

3. Ampliar participação democrática

– US$ 33,5 milhões em uma iniciativa para ampliar a presença de mulheres na política. Haverá também um fundo de US$ 5 milhões para a inclusão e empoderamento de pessoas LGBTQIA+.

– US$ 10 milhões para apoiar entidades civis e de direitos humanos em risco

– US$ 122 milhões para ajudar trabalhadores pelo mundo a reivindicarem seus direitos

4. Avançar em tecnologias

– Defender o modelo de internet aberta, segura e estável e expandir iniciativas digitais de promoção de valores democráticos.

– Medidas para impedir o uso da internet para desrespeitar direitos humanos. Haverá US$ 4 milhões para um fundo destinado ao combate da censura.

5. Defender eleições livres

– US$ 2,5 milhões para uma Coalizão para Assegurar Integridade Eleitoral, que unirá governos e ONGs.

– US$ 17,5 milhões para um Fundo de Defesa de Eleições Democráticas, para buscar soluções de combate à tentativas de desacreditar votações.

Os itens. levantados por Biden parecem óbvios, financiar os aliados dos interesses da burguesia Estadounidense pelo mundo, generalizar operações tipo lava jato, cooptar movimentos independentes, que reivindiquem direitos justos, porém sem conseguirem compreender o papel do imperialismo na negação a estes mesmos direitos e um mecanismo fundamental nesse dispositivo são as Organizações Não Governamentais. A estratégia é cooptar, pois a repressão aberta e simples não funcionou, então arrancar do movimento operário e das organizações populares a sua independência é a tarefa que Biden coloca. Agora é necessário encontrar lideres operários, camponeses e populares, que em nome do suposto pragmatismo, concordem em abrir mão de sua independência politica para serem agentes, mesmo que inconscientes, do imperialismo dos EUA.

No campo da Ciência & Tecnologia temos o recém-lançado plano norte-americano para estimular os empregos[1], por exemplo, tem uma seção inteiramente dedicada às políticas para Pesquisa & Desenvolvimento (P&D). O plano parte do diagnóstico de que, se os EUA querem manter sua liderança na economia global de hoje, serão necessários mais investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D). O documento ressalta que os EUA são uma das poucas grandes economias do mundo nas quais o dispêndio público em P&D caiu como proporção do PIB e aponta, explicitamente, a preocupação com a perda de liderança para a China nessa área. Segundo o documento, a perda de empregos nos EUA em setores de alta tecnologia está relacionada a essa queda no investimento. Esses sinais indicam que a burguesia dos EUA não pretende abandonar pacificamente sua posição de burguesia imperialista hegemonica.

Acreditamos que somos capazes de construir no mundo uma economia justa, movida a energia limpa, sem a destruição do meio ambiente e livre da exploração desumana da força de trabalho. 

Então, as contradições do sistema capitalista seriam superadas pela simples vontade politica.

Acreditamos que outro Brasil é possível, outra Europa é possível e outro mundo é possível – porque, num passado muito recente, fomos capazes de construí-lo.

Lula retoma o slogan do Fórum Social Mundial, iniciativa do jornal Le Monde Diplomatique, junto com uma multidão de ONGS , muitas delas financiadas pelo mega especulador George Soros. Uma estratégia que Biden tenta retomar.

Podemos ser felizes juntos. E seremos.

Muito obrigado a todos.

Lula encerra um discurso repleto de esperança e é aplaudido de pé, por um grupo de dirigentes e delegados da burguesia europeia. Coloca-se claramente como um interlocutor com esses agentes e passa a ser chamado de “O Social Democrata Sul Americano”. Certamente para o ódio dos Bolsonaristas, como dizem parte dos petistas , que depois da campanha pela liberdade de Lula, parece que perderam completamente o senso critico. A necessária campanha pela liberdade de Lula, quando deixou de levantar os problemas políticos que o levaram a prisão nas masmorras de Curitiba, cumpriram um papel de reforçar o messianismo lulista e impediram um balanço das ações que levaram Lula a prisão. O abandono das reivindicações populares, que estão na origem da constituição do PT , ganha, portanto, um novo nível. A direção petista volta a ter ilusões que pode, apartir de seu Messias , jogar um papel importante na escala global . Sem contar com o apoio popular e confinando a militância a apenas um grupo de agitadores de bandeiras. Sem qualquer capacidade de influir nos caminhos do partido , ou mesmo , sem qualquer direito de questionar as decisões da direção.

Publicado por Leninista Bolchevique

Pseudonimo associado aos partidários da Oposição de Esquerda Internacional e depois a IV Internacional. Trotsky definia-se como Leninista Bolchevique

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: