A queda da URSS-Parte 1- As guerras do petroleo

No natal de 2021 completou 30 anos da extinção da União das Republicas Socialistas Soviéticas-URSS. Configurando-se assim, mais uma data para o marxismo ser atacado por todos os lados. Anteriormente já havíamos escrito acerca da queda do Muro de Berlin . Demonstrando que a queda do Muro e o desabamento da URSS não são consequencias diretas um do outro. Porem voltamos e voltaremos a este complexo assunto diversas vezes, pois a queda da URSS, é certamente um dos eventos mais importantes na história do movimento operario internacional.

A Matéria da BBC

A BBC Brasil publicou um texto intitulado -5 razões pelas quais a URSS entrou em colapso há 30 anos atrás-. A redação do texto é bastante curiosa . O principal problema segunda a reportagem era

Uma economia em colapso era o maior de todos os problemas da União Soviética.

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-59794568

É irônico essa acusação contra o primeiro Estado operário de proporções nacionais do Mundo, o primeiro mesmo foi a Comuna de Paris, que tinha proporções municipais. A ironia consiste que a acusação de Marx ao capitalismo foi sempre que o mercado econômico entraria em colapso inevitavelmente. Discutimos isso nos dois prefácios ao manifesto do partido comunista que comentamos , assim como nos dois textos da serie O que é o imperialismos parte 1 e parte 2. A matéria da BBC coloca como principal problema o problema econômico associado a escassez de produtos. Contudo, a matéria comete um ato falho terrível, que não pode deixar de ser comentado.

O que piorou a situação foram os gastos com a exploração espacial e a corrida armamentista entre a União Soviética e os Estados Unidos, que começou no final dos anos 1950.

gastos para defender a economia planificada, não eram um problema endógeno, ou seja, intrínsecos ao modo de produção Soviético, mas uma imposição para proteger as fronteiras da URSS por parte modo de produção capitalista, dito de outra forma, das ações do imperialismo dos EUA. Mais para a frente a matéria explica.

A União Soviética dependia de seus recursos naturais, como petróleo e gás, para pagar por essa corrida, mas, no início da década de 1980, os preços do petróleo despencaram, atingindo duramente a economia já debilitada do bloco.

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-59794568

Esse problema também não seria intrínseco ao modo de produção soviético, pois a URSS negociava petroleo no mercado mundial capitalista global, logo estava como qualquer pais submetido as regras de mercado mundial, a hegemonia do dólar como moeda mundial de troca e a todos os dispositivos de pilhagem, que começamos a explicar e ainda aprofundaremos em nossos textos de formação politica. Logo a critica que Marx faz ao capitalismo de que este geraria as próprias condições para seu desabamento, não são aplicáveis a URSS. Sendo estes os problemas apontados pela BBC , o motivo econômico do desabamento esta no capitalismo e não nas características intrínsecas do modo de produção soviético

O que foi a tal crise do petroleo?

Achamos umm explicação na pagina do CBIE. O que seria o CBIE ? Algum tipo de partido comunista, alguma entidade saudosista do regimes do Leste (Lestalgica?)? Longe disso, deixemos por conta do CBIE sua propria apresentação:

O CBIE – CENTRO BRASILEIRO DE INFRA ESTRUTURA

Fundado em 2000 o CBIE é uma consultoria especializada em inteligência, regulação e assuntos estratégicos para o setor de energia. Reconhecido como uma das 100 consultorias mais influentes do Brasil no setor de energia, é referência no setor de infraestrutura no país.

https://cbie.com.br/quem-somos/

Portanto uma entidade patronal.

Vejamos, o que o CBIE diz sobre a crise do petróleo, que BBC diz ter derrubado a URSS.

A formação da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) durante a década de 1960 para restringir a oferta no mercado internacional e sustentar os preços do petróleo foi uma das origens da primeira crise, em 1973. O Gráfico 1 mostra a evolução da produção de petróleo da OPEP durante o período das duas crises de petróleo.

https://cbie.com.br/artigos/como-foram-as-crises-do-petroleo/

Seria essa OPEP um daqueles grupos monopolistas que citamos em –o que é o imperialismo?– Parece que sim. Vemos abaixo um gráfico mostrando o papel da OPEP na produção e a disputa no mercado mundial com os não alinhados com a OPEP e a Arabia Saudita.

Então a queda do petróleo estaria relacionada a uma entidade imperialista, um cartel imperialista nos melhores padrões dos previstos por Lenin em imperialismo etapa superior do capitalismo. Essa hipótese mudaria as coisas. Voltemos ao CBIE:

Para entender a crise de preços, é preciso considerar o contexto político da época. Durante a Guerra do Yom Kipper, os Estados Unidos e países europeus declararam apoio a Israel contra Egito e Síria. Os países árabes retaliariam embargando a exportação de petróleo para os EUA e Europa, o que causou o preço do barril a subir de US$/b 2,90 no final de 1973 para US$/b 11,65 no início do ano seguinte. O gráfico 3 mostra o resultado no preço do petróleo durante as crises. Após o preço se estabilizar por alguns anos em um pouco acima de US$ 10 por barril, em 1978-1979 um novo evento político abalou os mercados, a Revolução Iraniana. Apesar de afetar o suprimento de apenas 9% da oferta global, um pânico generalizado resultou em elevação acentuada dos preços e novas recessões nos países importadores. Em 1980, a Guerra Irã-Iraque causou ainda mais preocupação nos mercados, levando o preço para uma média anual de US$/b 38. Depois de 1980, os preços do petróleo começaram um declínio de quase uma década

Teria sido essa guerra algum tipo de sabotagem, pois como diz a própria BBC a URSS era dependente de petróleo, inclusive para calefação. Existe um gráfico acerca de emissões de CO2, que ganhou popularidade por conta da crise ambiental.

Notemos que nesse período apenas a Russia teve redução significativa de emissões de CO2, justamente pela desorganização que a queda da URSS gerou, entre 78 e 80 os EUA tem uma baixa de emissão que corresponde justamente a essa crise .

Achamos em um arquivo do jornal o Globo o seguinte texto ver aqui:

As duas crises do petróleo interomperam um ciclo de prosperidade mundial que tinha começado na década de 50. Conflitos entre países membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) derrubaram a oferta do insumo entre 1973 e 1974, fazendo os preços quase quadruplicarem no período (o barril subiu de US$ 3 para US$ 11,60), afetando países importadores como o Brasil, segundo explica Ceres Aires Cerqueira, no livro “Dívida externa brasileira”, de 1997. Na ocasião, a autora era chefe-adjunta do Departamento da Dívida Externa do Banco Central do Brasil.

https://acervo.oglobo.globo.com/em-destaque/apos-choque-do-petroleo-juros-sobem-nos-eua-america-latina-vive-crise-da-divida-20272880

Então não foi apenas a URSS que sofreu com o impacto da crise.

A alta dos juros nos EUA

Também em 1979, Paul Volcker, presidente do banco central americano, deu uma “pancada” nos juros: as taxas saltaram de uma média de 12,88% ao ano, em 1979, para 20,18% em 1980. A decisão provocou reflexos também na taxa London Interbank (Libor), de Londres, que subiu de uma média de 12,27% para 18,03% ao ano em 1980, segundo dados da agência de notícias Reuters.

Leia mais: https://acervo.oglobo.globo.com/em-destaque/apos-choque-do-petroleo-juros-sobem-nos-eua-america-latina-vive-crise-da-divida-20272880#ixzz7J81rJeJS
stest

Essa alta dos juros nos EUA , fez com que a divida dos paises Latino Americanos , que é cotada em dólar, disparasse. Foi um enorme choque no mercado mundial, uma verdadeira ação de guerra econômica. Voltaremos a abordar esse tema em breve , pois o banco central dos EUA tem anunciado novas altas de juros v aqui

Essa ação de guerra econômica da burguesia imperialista dos EUA , que o faz por ter a moeda mundial ao qual as dividas são cotadas, atreladas as reformas de Gorbatchev internamente a URSS como diz o economista britânico Michael Roberts:

https://thenextrecession.wordpress.com/2017/11/08/the-russian-revolution-some-economic-notes/

O sucesso do modelo soviético de crescimento nas entre 1950 e 1960 era inegável. Mas uma fase de estagnação econômica começou na década de 1970. A tentativa de mudar para um novo regime de acumulação intensiva para um baseado no alto crescimento da produtividade falhou. E a militarização da economia por causa da Guerra Fria usou um valioso potencial de investimento produtivo. A elite russa tentou alterar o modelo econômico para um que dependia da exportação de recursos, em vez de desenvolver indústria e tecnologia. A economia tornou-se um pônei de um truque só.

https://thenextrecession.wordpress.com/2017/11/08/the-russian-revolution-some-economic-notes/

A confirmação do Prognóstico de Trotsky

O prognóstico político tem um caráter alternativo: ou a burocracia, tornando-se cada vez mais o órgão da burguesia mundial no Estado operário, derrubará as novas formas de propriedade e lançará o país de volta ao capitalismo ou a classe operária destruirá a burocracia e abrirá uma saída em direção ao socialismo.

Leon Trotsky-Programa de Transição

O diagnóstico de Michael Roberts deixa claro a ação restauracionista da burocracia soviética, que foi prevista anteriormente por Trotsky , assim , confrontando as previsões teóricas com os resultados empiricos , podemos perceber que o prognóstico de Trotsky foi realizado.

Conclusão

Os fatos ficam cada vez mais claros no texto –Trinta anos da Queda do Muro de Berlin – 9 de novembro de 1989– trouxemos os primeiros elementos, demonstrando o que realmente caiu naquele 9 de novembro de 1989 e o divorcio entre a queda do Muro de Berlin e a queda da URSS e suas consequências desastrosas, a enorme destruição de forças produtivas, rebaixamento do preço da mão de obra no Leste Europeu, ataques sem precedentes as conquistas sociais originarias na Revolução de Outubro, mas enquanto escrevíamos esse balanço, uma nova onda de ataques do imperialismo começou no Leste, não temos no espaço neste texto, nem as condições para tratar desta guerra que ameaça, não a paz mundial, pois é impossível existir paz na época do imperialismo fase superior do capitalismo, mas a vida de milhões de pessoas. As razões para essa nova ameaça de guerra só podem ser encontradas, como disse o economista Michael Roberts em texto traduzido por nós:

E a razão é clara pela teoria econômica marxista. Um longo boom só é possível se houver uma destruição significativa dos valores de capital, física ou por desvalorização, ou ambos. 

https://cienciadostrabalhadorespt.com/2022/01/13/michael-roberts-para-onde-vai-a-economia-global/

Portanto é necessario uma nova onda de destruição das forças produtivas, mesmo ali onde muitas forças produtivas já foram sepultadas, o modo de produção não tolera interrupção e sua sanha destruidora não para. O capitalismo precisa de uma nova guerra!

Publicado por Chico Bernardino

Militante Petista e Perseguido Politico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: